Seguidores...

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Sem Cinto e Sem Freios...

Me preocupa nosso rumo,
Assim sem freios, para o nada
Abrindo pontes e estradas
Em segundos, pátria amada,
noutra hora, submundo.

Quando Tupã Olha - Hoje Ninguém Chora...

Tupã balançou os ipês
Fez a chuva refrescar o chão
Dos ipês espalhou suas flores
Com a água lavou minhas dores
Renovou meu velho coração

Tupã fez o sol me secar
Fez um chá pra curar as feridas
Com a luz que invadiu os meus olhos
Com a camisa feita de abrolhos
Envolveu de calor minha vida

Coração Transbordou - Rio Encheu Que Desaguou...

Quando o Aquidauana transbordar 
Vou navegar em seu quintal
Entre as mangas verdes de seu olhar
Ancorar sem dar sinal

Aportar seguro
Tomar posse de todo lugar

Quando o Aquidauana transbordar
Vou navegar em sua rua
Feito a luz que vem deslizar
Acariciar tua pele nua

Alto mar, eu juro
Nunca mais procurar

Quando o Aquidauana transbordar
(Foi por muito eu ter rezado)
E transpor os muros de teu altar
Quero rezar ao teu lado

Devotar, tão puro
Meu ser que há tanto amar...

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

MEU JEITO - FIZ NO DIA A DIA...

Gosto dos sons da natureza
Da história de nosso povo
Da comida de comitiva
E do som do berrante choroso

Gosto do vento que a chuva traz
Do cheiro de terra molhada
Do abraço de minha amada
Do frescor do dia úmido como um beijo fugaz

Gosto da folha quando balança no fim de tarde
Do gosto da bocaiúva, do gosto do tereré
Gosto de abrir a boca quando o sono invade
Gosto de acreditar em Deus e de ter fé

Gosto de ouvir uma gargalhada
Do cheiro de café que vem da cozinha
Gosto de não ter preconceitos, nem muros
Isso é o que me faz seguro...




sexta-feira, 18 de agosto de 2017

DEPOIS DO QUEBRA TORTO...

Bebeu do leite morno
Tirado agorinha das tetas
Madrugada é noite ainda
E o quebra torto já esta na mesa

O arroz carreteiro e a farinha
O feijão no fogão de lenha
A mandioca que se desmancha
A aurora que se desenha

O cavalo dispara e já faz poeira
O vento faz curva na invernada
Parece um retrato na parede
Essa lida pantaneira da boiada

Ê boi
Ê boiada
Longe se ouve

Gritos da peonada

Cultura, Educação e Arte - Quero Minha Parte...

Não quero ser um ator de novelas
Ou ser um padre pra rezar novenas
Não quero ser um pintor de aquarelas
Ou um herói que se vê nos cinemas

Eu quero ser o melhor que consigo
Nem pobre nem rico
Quero a parte que me cabe
Mas quero fora desse circo

Não me ponha freios que não sou animal
Não me discipline que não sou bonifrate
Não me diga que eu quero o carnaval

Eu quero cultura, educação e arte

segunda-feira, 5 de junho de 2017

O REI PELUDO - PELADO USA VELUDO...

O Rei na grande piscina pensa que é peixe
Bate as barbatanas e se assanha
Com a possibilidade de subverter a natureza
De ser peixe embora seja só propaganda

O Rei flutua sobre a sua ignorância
Em pleno 2017 acredita em contos dos Grimm
De vampiro a mocinho com pistolas de chumbinho
O pobre menino não leu o livro até o fim

O Rei não sabe nada sobre movimentos
Se o povo põe alguém esse alguém escreve o epitáfio
Se o Rei se impõe o povo altera o ultimo parágrafo
E acaba dono do poder sem deferimentos

O Rei na grande piscina é uma isca
Onde jogam seus anzóis grandes e poderosos
Quanto mais vorazes maiores os dividendos
Maiores as perdas e os traidores impiedosos

A isca é para ser comida em nome do anzol
O anzol é engolido em nome da maldita fome
A fome é criada, funcionária, agente, subalterna
Do rei que é criado, funcionário, agente, subalterno do homem

O homem inventou o capital
E se deu mal...